Mobile Marketing: por que optar por esta estratégia?

mobile marketing

Foi-se a época em que bastava ter um site institucional no ar, ou mesmo fazer um blog e ficar esperando os leads choverem na sua página. Hoje é preciso integrar algumas estratégias que deem mais vida a esses métodos, como o mobile marketing.

Também não é novidade para ninguém como os smartphones e tablets vêm revolucionando o uso da internet, especialmente quando o assunto são as compras, vendas e negociação que as pessoas fazem pela esfera digital.

Inclusive, se já são mais de 200 milhões de brasileiros com acesso a celulares ativos, segundo dados da Opinion Box, uma empresa que é referência em pesquisas digitais, 85% dessas pessoas realmente dão prioridade ao smartphone na hora das compras.

Diante deste cenário, não é preciso dizer como é importante uma empresa se adequar às exigências dessa nova cultura. Até porque, todo mundo já teve a experiência de conhecer um site incrível pelo computador, depois abri-lo na versão mobile e se decepcionar.

Ademais, a rotina da maioria das pessoas já pode ser tocada por ali. Desde pagar contas e interagir nas principais redes sociais do mundo, até alguns trabalhos, como o de um social media ou um influencer, podem ser feitos inteiramente pelo celular.

Isso já revela o “espírito da coisa”. Quer dizer, se uma pessoa estiver jogando pelo celular, assistindo séries ou mesmo pedindo comida, é claro que se uma propaganda/plataforma tiver versão mobile ela vai ter uma aderência muito maior, você concorda?

Ainda segundo a Opinion Box, há mais algumas informações que podem ajudá-lo a compreender a importância do mobile marketing, tais como:

  • O Brasil registra mais de um celular por habitante;
  • 70% do tempo das mídias são consumidas pelo aparelho;
  • Mais de 50% usa aplicativos para descobrir novas marcas;
  • No mundo todo, há mais celulares do que televisores.

Além disso, outro dado igualmente importante e empolgante é que o número de usuários de celulares cresce a cada ano, já que os aparelhos podem servir tanto para uso pessoal quanto profissional.

Justamente por isso, há pessoas que têm dois aparelhos. Então, se você quer compreender melhor as razões pelas quais você pode e deve investir em marketing mobile, é só seguir adiante na leitura.

O que exatamente é o marketing mobile?

Todo marketing visa tirar um projeto do papel, ou seja, traduzir uma marca em ações práticas que atraiam clientes para aquele negócio. O foco sempre recai em influenciar as pessoas, conquistando a atenção e engajamento delas.

No caso do mobile, o foco está em fazer tudo que o marketing tradicional permite, mas na tela do celular ou do tablet. As possibilidades que isso abre para uma loja de equipamentos contra incêndio, por exemplo, são enormes.

Afinal, o marketing mobile é apenas um formato ou método estratégico, mais ou menos como um veículo de informação. Portanto, ele pode ser aplicado a todos os negócios, e até a profissionais liberais, sites governamentais e afins.

Assim, ele pode ser utilizado para divulgar produtos, serviços, informações em geral e, claro, promoções arrasadoras. Que são aquelas que encontram a pessoa certa na hora certa, levando à decisão de compra e pagamento.

Por isso, mais do que simplesmente “adaptar o site” para mobile, trata-se de uma nova visão, que torna a comunicação melhor e potencializa o engajamento. Daí que também seja possível pensar em aplicativos dedicados, serviços de mensagem e muito mais.

Trata-se de uma nova cultura. Tanto que, ao pesquisar algo como bloco de concreto estrutural preço na internet, a maioria das pessoas nem sequer escreve essa palavra-chave, elas pronunciam na barra de busca dos grandes buscadores.

Trata-se do famoso voice search, que hoje já está na lista de prioridades das grandes plataformas ou motores de busca. Por isso, uma empresa que queira marcar presença nesse universo precisa se especializar em marketing mobile.

Por dentro do universo da responsividade

Talvez você nunca tenha ouvido o termo responsividade ou “responsivo”. Mas com certeza agradece muito sempre que um site tem essa funcionalidade, e sofre quando isso não ocorre, especialmente se você precisa daquele conteúdo.

O termo remete à capacidade que um site tem de se adaptar às várias telas existentes. Graças a ele, o site de uma empresa de segurança eletrônica pode ser bem visualizado pelo desktop, mas também pelo celular ou pelo tablet.

Mas não é somente isso, pois além de ser bem visualizado é preciso que a funcionalidade seja eficiente. Ou seja, o marketing mobile de qualidade garante que cada menu, cada imagem, cada página de login se adapte ao dispositivo de acesso.

Na prática, há dois modos de fazer isso. Um web designer é capaz de dizer quando uma plataforma pode ter a responsividade automática, e quando vale mais a pena estruturar uma versão mobile do zero.

É a diferença entre “responsividade” e “adaptatividade”. Existem alguns detalhes técnicos aqui, como sobre o fluxo e as unidades relativas de conteúdo. Mas não é preciso entrar nesse mérito, o importante é que o site tenha a função mobile.

Aliás, hoje existem plataformas que precisam pensar até mesmo em dispositivos como televisores. Se você tentar assistir um vídeo de apresentação de uma fábrica de tijolo ecológico vai perceber que uma página pensada para smart TV funciona bem melhor.

Além disso, já que falamos dos motores de busca, saiba que a responsividade se tornou um parâmetro dessas plataformas. Portanto, para ficar bem ranqueado nas pesquisas, seu site precisa cumprir com essa exigência mínima.

A estratégia dos serviços de mensagem

Outra estratégia incrível, que diz muito sobre a praticidade do marketing mobile, é a das mensagens de celular, sendo a mais conhecida a de SMS (Short Message Service), cuja tradução já diz muito: Serviço de Mensagens Curtas.

Conhecida por ser utilizada justamente pelas operadoras de telefonia móvel, na verdade qualquer empresa pode utilizar essa técnica. Ou seja, uma loja de construção que dispare um SMS sobre promoção de corrimão em alumínio pode ter ótimos retornos.

Um ponto fundamental aqui é utilizar essa estratégia apenas com um banco de leads engajado e já inserido na rotina do seu marketing. Afinal, a prática de comprar malotes de leads e disparar mensagens para todo lado pode surtir o efeito contrário.

Caso a pessoa não tenha interesse na sua solução, ou nem sequer conheça sua marca, ela pode até mesmo denunciar essa atividade de disparo de mensagens. Dito isto, hoje já existem inovações na área, como o MMS (Serviço de Mensagens Multimídia).

Diferentemente do SMS, que tem limite até mesmo no tocante ao número de caracteres (geralmente são 160 apenas), na modalidade de multimídia é possível disparar imagens, apresentação de slides, áudio e até mesmo vídeos curtos.

Se a empresa trabalha com algo como uma caixa de passagem de fio, é possível fazer uma animação ilustrando a instalação do item. Com esse tipo de recurso, todo produto se torna mais atrativo, imagine então os do setor de alimentação e filmes.

Para quem acha que esse tipo de recurso está ultrapassado, saiba que a taxa de abertura dessas mensagens é de incríveis 98% (a de e-mail marketing, por exemplo, é de apenas 20%). Os dados são da Ebit|Nielsen, famosa empresa de pesquisa da área.

As principais vantagens e tendências

Até aqui já ficou claro quais são as principais razões para optar pela estratégia do mobile marketing. Mas tem uma que é essencial e talvez ainda não tenha ficado clara: a de que sua concorrência provavelmente já está fazendo isso.

Portanto, também é importante dar atenção às tendências mais disruptivas, como a do Bluetooth Marketing, também conhecido por Marketing de Proximidade. Nela, se o cliente for atrás de caixa d’água comprar em sua loja, você pode ir muito além.

É possível encaminhar para o celular dele arquivos de multimídia sobre o produto, portfólio com outras opções similares, além de detalhes de serviços ligados à solução. Tudo isso na palma da mão, sem que o cliente precise rodar a loja toda atrás do vendedor.

Quando a pessoa vai embora, como os dados permanecem no celular dela, a probabilidade de isso gerar contatos futuros é bem grande, realizando a função do marketing. Outro exemplo inovador de mobile é o do QR Code Marketing.

Trata-se daqueles códigos de barra diferenciados, que são quadrados e contam com uma quantidade muito maior de informações, se comparados aos antigos códigos listados. Aqui a estratégia vai muito além da loja ou da presença no espaço físico.

Ela também não se limita somente ao digital, podendo começar pelo marketing tradicional. Por exemplo, se uma loja de casa e construção distribui panfletos de piso vinílico em manta preço, ele pode conter um QR Code.

Para o cliente escanear o código basta utilizar a câmera do celular. A interação pode gerar um link que leva para o site de compras, ou mesmo para um aplicativo de compras.

Com isso, vemos como o marketing mobile tem se tornado um meio incrível de gerar oportunidades e potencializar as vendas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Artigos Relacionados

Redes Sociais